Biblioteca

12/12/2018

Babesiose canina: Relato de caso

Babesiose canina: Relato de caso Monografia apresentada na Pós-Graduação em Clínica Médica de Pequenos Animais Este é um relato de um caso de babesiose ocorrido no Vale do Paranhana, cidade de Taquara-RS. Um cão macho, SRD, com dois anos de idade, apresentou sinais clínicos compatíveis com a doença. O diagnóstico foi possível após a detecção do parasita Babesia canis na pesquisa de hemocitozoários. O animal foi tratado com Dipropionato de Imidocarb, em duas aplicações com intervalo de 14 dias. Na visita realizada ao proprietário, constatou-se que a terapêutica foi efetiva e o canino apresentava-se bem de saúde.

12/12/2018

Osteossarcoma canino: Revisão de literatura

Osteossarcoma canino: Revisão de literatura Monografia apresentada na Pós-Graduação em Clínica Médica de Pequenos Animais O osteossarcoma canino é a neoplasia óssea mais diagnosticada no cão, sendo sua prevalência observada em cães de meia idade e idosos, em torno dos 7 anos de idade. As raças mais acometidas incluem: Pastor alemão, Rottweiler, Doberman. Esta neoplasia acomete tanto o esqueleto apendicular quanto o axial. A história clínica, exame físico e diagnóstico por imagem, são os aliados do médico veterinário na elucidação do diagnóstico. Embora o raio-x seja o método mais utilizado para o diagnóstico de neoplasias ósseas, pois no mínimo deve ser realizado um levantamento radiográfico do animal, também é de extrema valia o uso de outros recursos como a Ultrasonografia, Cintilografia, Tomografia Computadorizada (TC) ou a Ressonância Magnética (RM), que mais detalhadamente avaliam a neoplasia quanto a sua característica e extensão. O local de predileção para o aparecimento do osteossarcoma canino em se tratando de esqueleto apendicular, compreende a região metafisária do úmero proximal, rádio e ulna. As radiografias torácicas são muito importantes, para definir possíveis metástases pulmonares, embora, um pequeno número de animais apresente acometimento pulmonar na ocasião do diagnóstico. O diagnóstico do osteossarcoma deve ser realizado o mais breve possível após o aparecimento dos sintomas, pois trata-se de uma neoplasia bastante agressiva e com alto grau de malignidade. A terapêutica adotada nos casos comprovados de osteossarcoma, vão desde técnicas de poupamento do membro a técnicas de amputação e uso de terapias adjuvantes com quimioterapia e/ou radioterapia. A sobrevida dos animais tratados gira em torno de seis meses. A eutanásia muitas vezes é a opção de escolha devido à evolução da doença, ao estado do paciente, e ao prognóstico reservado ou desfavorável.

12/12/2018

Enucleação em paciente felino (Felis catus)

Enucleação em paciente felino (Felis catus) Monografia apresentada na Pós-Graduação em Clínica Médica e Cirúrgica de Pequenos Animais O olho é um órgão bastante complexo, sendo este que permite detectar a luz e transformar essa percepção em impulsos elétricos que são enviados até o cérebro. Sendo assim é de grande importância o conhecimento anatômico e sua fisiologia. Neste trabalho será realizada uma revisão de literatura da anatomia do olho e suas estruturas, assim como um relato de caso de um gato, o qual foi realizado enucleação transpalpebral devido a um trauma automobilístico que comprometeu a função de seu olho direito, assim como reconstrução da sínfise mentoniana, reposicionamento da mandíbula e orquiectomia. Houve recuperação completa do animal, mantendo uma boa qualidade de vida.

12/12/2018

Disfunção cognitiva em cães: Revisão de literatura

Disfunção cognitiva em cães: Revisão de literatura Monografia apresentada na Pós-Graduação em Clínica Médica de Pequenos Animais A Disfunção Cognitiva Canina (DCC) é uma doença caracterizada por processos degenerativos encefálicos que podem ou não estarem associados com outras doenças, sendo que esta apresenta algumas similaridades com o mal de Alzheimer. A DCC em cães está associada a um declino na atividade física, onde os principais sintomas apresentados são desorientação, perda de adestramento e mudanças no ciclo circadiano. A principal forma de diagnosticar a DCC é por meio da exclusão de demais doenças, onde é importante ressaltar que animais com problemas médicos e/ou comportamentais, também podem apresentar a DCC simultaneamente. A DCC é diagnosticada principalmente em cães mais velhos com idade superior a nove anos. As principais mudanças morfofisiológicas encontradas são a atrofia cortical, aumento do tamanho dos ventrículos, diminuição da quantidade de neurônios e principalmente a redução de antioxidantes endógenos e o acúmulo de placas senis compostas por uma substância chamada β-amilóide, que se acumulam principalmente no hipocampo e no córtex frontal. O tratamento deve visar a melhoria dos sinais clínicos, bem como retardar o progresso da doença, onde a única droga disponível atualmente é a selegilina. Uma outra estratégia importante que deve ser usada no tratamento da DCC é o uso de uma dieta rica em antioxidantes. O tratamento deve ser iniciado o quanto antes para que os resultados sejam satisfatórios, havendo assim uma melhora na qualidade de vida do cão e de sua família.

12/12/2018

Analisar a qualidade quanto aos aspectos físico-químicos e sensoriais do iogurte em bandeja em um laticínio no Recôncavo Baiano

Analisar a qualidade quanto aos aspectos físico-químicos e sensoriais do iogurte em bandeja em um laticínio no Recôncavo Baiano Monografia apresentada na Pós-Graduação em Gestão da Qualidade Vigilância Sanitária em Alimentos O presente estudo teve como objetivo avaliar as características físico-químicas e sensoriais do iogurte em bandeja. O levantamento foi feito em laticínio no recôncavo baiano, onde avaliamos os registros referentes aos meses de janeiro a abril 2007 em três etapas no decorrer do seu período de validade: 1º, 25º e 45º dia após a sua fabricação. Os resultados de pH e acidez não demonstraram diferenças significativas. Ocorreu aumento na acidez e redução de pH em todos os meses avaliados. A média de pH variou de 4,1 e 3,88 e acidez titulável de 0,74 a 0,84. Quanto à avaliação sensorial nos três períodos avaliados mais de 90% das amostras apresentaram textura arenosa, e 100% com consistência aceitável. No 25º dia 25% apresentaram sabor ácido e 15% estragado, com 45 dias 33,3% tinha sabor ácido e 41,7% estragado. 50% das amostras foram reprovadas no último dia de validade. Com base nos resultados, as amostras analisadas encontraram-se fora dos padrões estabelecidos. Concluiu-se que um controle mais rigoroso desde a obtenção da matéria-prima, processamento e armazenamento, faz-se necessário para garantir um produto com características organolépticas e qualidade para os consumidores.

12/12/2018

Determinação da eficiência do projeto de controle populacional de animais errantes do município de Telêmaco Borba/PR

Determinação da eficiência do projeto de controle populacional de animais errantes do município de Telêmaco Borba/PR Monografia apresentada na Pós-Graduação em Clínica Médica e Cirúrgica de Pequenos Animais A implantação de medidas para controle populacional de animais se faz necessária, para tentar diminuir problemas decorrentes de elevado número de cães e gatos observados em vias públicas sem um tutor ou responsável, bem como prevenção de zoonoses que envolvem tais espécies, garantindo a proteção e incremento de bem-estar não só da população humana como também desses animais. O objetivo do presente estudo foi verificar a distribuição da população canina e felina e sua proporção em relação ao número de residências e habitantes no município de Telêmaco Borba, PR comparando os resultados obtidos com o recenseamento realizado em 2010 e relatar as atividades desenvolvidas para controle populacional, estabelecendo parâmetros.

12/12/2018

Influência da mastite na qualidade do leite in natura: Revisão de literatura

Influência da mastite na qualidade do leite in natura: Revisão de literatura Monografia apresentada na Higiene e Inspeção de Produtos de Origem Animal A mastite é a doença infecciosa mais comum de bovinos leiteiros. Geralmente, é caracterizada de acordo com a origem do microrganismo. A mastite contagiosa é causada por bactérias que residem na glândula mamária das vacas, enquanto a mastite ambiental está associada a microrganismos presentes no meio ambiente. A ocorrência de um caso de mastite clínica causa prejuízos diretos para o produtor, visto que há necessidade de tratamento e descarte de leite com resíduos de antibióticos. A qualidade do leite in natura é influenciada por muitos fatores, como fatores zootécnicos associados ao manejo, alimentação, potencial genético de rebanhos, e fatores relacionados à obtenção e armazenamento do leite. Uma das causas que exerce influência extremamente prejudicial sobre a composição e características físico-químicas do leite é a mastite acompanhada por aumento na Contagem de Células Somáticas CCS. A composição do leite, a atividade enzimática, o tempo de coagulação, a produtividade e a qualidade do leite e derivados lácteos são influenciados negativamente. É fundamental abordar este assunto neste trabalho já que a mastite é a doença infecciosa mais comum no gado leiteiro, que mais causa prejuízos em virtude da diminuição da produção, descarte do leite e até descarte da fêmea, bem como os medicamentos usados para o tratamento que deixam resíduos com graves conseqüências para indústria e problemas de saúde pública.

12/12/2018

Complexo gengivite-estomatite-faringite dos felinos: Revisão de literatura

Complexo gengivite-estomatite-faringite dos felinos: Revisão de literatura Monografia apresentada na Pós-Graduação em Clínica Médica de Pequenos Animais O complexo gengivite-estomatite-faringite (CGEF) é uma doença freqüente da cavidade oral dos felinos, caracterizada por intensa inflamação gengival, ulcerada ou ulceroproliferativa, com histórico de recidivas e muito mais severa do que as reações que normalmente se esperaria perante o progresso da doença periodontal. O CGEF é uma inflamação de caráter crônico, sendo classificado de acordo com as lesões e da caracterização histopatológica. A idade média dos animais acometidos é de oito anos de idade, variando entre três a quinze. As raças Persa, Abissínia, Siamesa, Himalaia e Birmanesa são descritas como tendo uma predisposição genética a este complexo, manifestando-se de forma mais severa do que nas demais. O sexo não tem relevância pois ambos são igualmente acometidos. É uma doença de patogenia ainda não elucidada, gerando assim um desafio para o médico veterinário, tanto no sentido de diagnóstico, bem como na escolha do melhor protocolo para seu paciente. O CGEF frequentemente é inconsistente aos tratamentos clínicos, sem que nenhum protocolo tenha se mostrado totalmente eficaz ou durador, pois os felinos apresentam uma resposta muito individual e variável. A extração de todos os dentes pré-molares e molares tem demonstrado os melhores resultados. Vários agentes são suspeitos de estarem associados no desenvolvimento da doença, como as bactérias, vírus, fatores nutricionais, condições ambientais e de manejo contribuem para instalação e manutenção do processo inflamatório oral. Tendo esta premissa, esta revisão de literatura busca ressaltar aspectos atuais sobre o CGEF, desde a abordagem clínica e formas de tratamento pois muitos elementos que o constituem permanecem ocultos.

12/12/2018

Hipotireoidismo em cão da raça cocker spaniel: Relato de caso

Hipotireoidismo em cão da raça cocker spaniel: Relato de caso Monografia apresentada na Pós-Graduação em Clínica Médica de Pequenos Animais Hipotireoidismo é uma endocrinopatia muito comum que é resultado da destruição irreversível da glândula tireóide, promovendo prejuízo na produção e na secreção dos hormônios tireoidianos diminuindo a taxa metabólica. O relato de caso é de um cão cocker spaniel, fêmea de cinco anos de idade, atendida no consultório veterinário Amigo Fiel - Joinville/SC. O animal apresentava obesidade, letargia e intolerância ao exercício. Apresentava expressão trágica (mixedema) e parecia prostrada. Foram realizados exames para mensurar T4, T4 livre e TSH, que resultaram alterados (T4: 0,41 ng/dl, TSH: 0,03 ng/dl). A partir desses resultados, somados ao histórico do animal e aos sinais clínicos, chegou-se ao diagnóstico de hipotireoidismo. Instituiu-se o tratamento com T4 (levo- tiroxina) na dose de 0,025 mg/kg b.i.d. Na primeira semana, utilizou-se um quarto da dose anteriormente citada e na segunda semana a metade da dose. Após esse período, a paciente apresentava maior vivacidade, estava mais ativa e alerta, e sem a expressão trágica na face. Na terceira semana de tratamento ajustou-se a dose do T4 para a dose total de 0,025mg/kg b.i.d de uso contínuo. O animal continua sendo acompanhado periodicamente.

12/12/2018

Abordagem ao paciente no trauma: Revisão de literatura

Abordagem ao paciente no trauma: revisão de literatura Monografia apresentada na Pós-Graduação em Clínica Médica de Pequenos Animais A terapia intensiva é uma área em ascensão e muitos clínicos querem aumentar seus conhecimentos no assunto para atender essa nova demanda. Tendo em vista auxiliar nessa busca por maiores conhecimentos na área, o presente trabalho procurou reunir informações recentes sobre a abordagem e tratamento do animal com traumatismo craniano. O trauma de crânio é uma condição bastante observada nas clínicas e muitas vezes esses animais são considerar, antes mesmo de serem socorridos. Com um atendimento rápido associado a uma avaliação bem feita e a um tratamento eficiente, boa parte dos pacientes consegue se recuperar. No pronto atendimento, primeiro se faz o ABC do trauma e correção de qualquer alteração destes sistemas para depois ser feita avaliação neurológica específica. O tratamento do sistema neurológico, inicialmente medicamentoso, tem por objetivo diminuir o edema cerebral e consequente aumento da pressão intracraniana. Caso não se consiga resultados, a cirurgia de crânio é uma chance de recuperação para esses pacientes. O prognóstico depende das condições neurológicas do animal, sendo muitas vezes de reservado a desfavorável. No entanto com um atendimento de qualidade e um tratamento adequado, muitos deles se recuperam.

1 2 3 5

Depoimentos

Curso excelente. A divulgação dos vídeos, mostrando a prática do procedimento é um diferencial significativo para o aprendizado. Obrigada!

Sobre o curso de Curso de Cirurgia Veterinária Torácicas

Gostei bastante das informações inseridas no curso. Faz com que tenhamos uma visão diferente em relação as novas terapias.

Sobre o curso de Células-Tronco

Aulas muito didáticas, profissional excelente , recomendo a todos .

Sobre o curso de Anestesiologia Veterinária

Newsletter